PUBLICIDADE
Topo

Países asiáticos se comprometem a lutar juntos contra terrorismo

31/08/2018 11h33

Katmandu, 31 ago (EFE).- Os líderes de Índia, Bangladesh, Sri Lanka, Nepal, Butão, Tailândia e Mianmar uniram nesta sexta-feira suas forças contra os terroristas e os países que os apoiam e financiam.

"A luta contra o terrorismo deve atacar não só terroristas, organizações terroristas e redes, mas também identificar e responsabilizar as entidades estatais e não estatais que apoiam e financiam o terrorismo", apontaram os países na Declaração de Katmandu, divulgada ao fim da reunião.

No texto, os países-membros da Iniciativa da Bahia de Bengala para a Cooperação Multisetorial Econômica e Técnica (Bimstec) defenderam punir também àqueles que dão refúgio aos terroristas e elogiam "falsamente" suas virtudes.

A grande maioria deles deram um passo a mais, com a ratificação da Convenção da Bimstec para a Cooperação no Combate do Terrorismo Internacional, o Crime Organizado Além da Fronteira e o Tráfico de Drogas Ilícito.

A organização não revelou que países especificamente a ratificaram.

Neste sentido, os líderes se comprometeram a aumentar a cooperação entre suas forças de segurança e agências de inteligência e acertaram manter uma série de reuniões ministeriais para promover a coordenação antiterrorista, anunciou o Ministério de Exteriores nepalês em comunicado.

Os países também destacaram sua responsabilidade na erradicação da pobreza na região até 2030, em linha com os objetivos da Agenda de Desenvolvimento Sustentado da ONU, e defenderam avanços nas suas negociações para criar uma zona de livre-comércio.

Em gestão de desastres, anunciaram a criação de um grupo intergovernamental para desenvolver um plano de ação e aumentar com ele a coordenação na resposta em relação a catástrofes naturais.

"A cúpula foi um passo significativo para tornar a Bimstec uma organização regional dinâmica, efetiva e orientada à consecução de resultados", concluiu o primeiro-ministro nepalês, K.P. Sharma Oli, que hoje passou o bastão na presidência da iniciativa ao presidente cingalês, Maithripala Sirisena.

A Bimstec conta com 22% da população mundial e um crescimento econômico médio de 6,5% durante os últimos cinco anos, segundo dados da iniciativa.

A sua primeira reunião aconteceu na Tailândia em 1997 e foi seguida de outra na Índia em 2008 e uma última em Mianmar em 2014, enquanto a próxima está prevista para o Sri Lanka.