PUBLICIDADE
Topo

Caça ilegal matou 508 rinocerontes na África do Sul de janeiro a agosto

21/09/2018 14h54

Johanesburgo, 21 set (EFE).- A caça ilegal na África do Sul matou 508 rinocerontes de janeiro a agosto de 2018, o que de acordo com os dados divulgados pelo governo sul-africano nesta sexta-feira, representa uma queda com relação ao mesmo período de 2017, quando foram mortos 691 animais desta espécie em extinção.

"Houve uma redução do número de rinocerontes caçados no país se comparado com o mesmo período de 2017. Todas as províncias registraram uma queda drástica (da caça ilegal)", indicou o Ministério do Meio Ambiente em comunicado.

Assim, dos 691 rinocerontes caçados nos primeiros oito meses de 2017, houve 183 mortes a menos no mesmo período de 2018.

Desde janeiro, as autoridades sul-africanas detiveram cerca de 400 suspeitos relacionados com a caça ilegal, 13 deles quando já estavam embarcando para outros países.

Além disso, neste tempo as autoridades apreenderam 60,92 quilos de chifres de rinocerontes.

As autoridades detiveram até 31 de agosto deste ano 13 caçadores ilegais (cinco chineses e oito sul-africanos).

No entanto, o Ministério lamentou os números relacionados à caça de elefantes, pois um total de 58 exemplares foram caçados no Parque Nacional Kruger, um dos mais famosos do país, entre janeiro e agosto de 2018.