PUBLICIDADE
Topo

Salvini afirma que denunciará embarcações que "favorecem" imigração ilegal

23/09/2018 09h23

Roma, 23 set (EFE).- O ministro do Interior da Itália, Matteo Salvini, afirmou neste domingo que denunciará as embarcações que socorrem imigrantes no Mediterrâneo porque "favorecem" a imigração ilegal e potencializam o trabalho dos traficantes de pessoas.

Salvini, que está sendo investigado na Itália pelo "sequestro de pessoas" após reter durante cinco dias mais de 100 eritreus em um navio militar em Catânia (Sicília), segue sua cruzada contra as ONG que patrulham o Mediterrâneo para ajudar os quem migram para Europa através do mar.

"Denunciarei por favorecimento da imigração clandestina os que ajudarem os traficantes. Nas últimas horas, os traficantes voltaram a trabalhar, enchendo barcos e se aproveitando da colaboração de algumas ONGs", disse Salvini.

O ministro de Interior e líder da ultradireitista Liga Norte se referiu às ONG SOS Méditerranée e Médicos Sem Fronteiras (MSF) e ao navio "Aquarius 2", que resgatou na quinta-feira 11 imigrantes no Mar Mediterrâneo e que espera desde então uma autorização para atracar em um porto para poder desembarcar estas pessoas.

Salvini afirmou que esta embarcação socorreu outras 50 pessoas no litoral da cidade de Zuara, na Líbia, e que "outras duas lanchas pneumáticas, com 100 imigrantes a bordo cada uma, navegam no mar".

O ministro também disse que "as saídas desde a Líbia tinham parado", após a decisão de reter um grupo de mais de 100 eritreus durante cinco dias em agosto em Catânia, mas que agora a atividade foi retomada porque o "Aquarius 2" está patrulhando.

"Para estes senhores, os portos italianos seguirão fechados", reiterou mais uma vez, insistindo em sua política de portos fechados aos barcos de ONGs com imigrantes a bordo.