PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Trump comemora avanços nas negociações com a Coreia do Norte

O presidente Donald Trump (dir) e Kim Jong-un (esq) durante encontro em Singapura, no dia 12 de junho de 2018 - Susan Walsh/AP
O presidente Donald Trump (dir) e Kim Jong-un (esq) durante encontro em Singapura, no dia 12 de junho de 2018 Imagem: Susan Walsh/AP

Nova Iorque

24/09/2018 18h01

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump comemorou nesta segunda-feira (24) os grandes avanços registrados nas conversas entre o governo norte-americano com a Coreia do Norte e afirmou que em breve dará detalhes de seu segundo encontro com Kim Jong-un, que provavelmente não será em Singapura.

"Estamos fazendo grandes avanços. Há um entusiasmo tremendo de Kim para chegar a um acordo", disse Trump após se reunir com o presidente da Coreia do Sul, Moon Jae-in, em Nova York.

Trump não quis dar muitos detalhes sobre o segundo encontro com o líder norte-coreano e afirmou que a reunião não deve ocorrer em Singapura. Apesar do sigilo, presidente americano antecipou que a reunião deve ocorrer em um "futuro muito próximo" e em um formato similar ao da primeira cúpula, quando os dois conversaram por mais de quatro horas.

"Não há pressa. Já fizemos mais do que todos antes. A relação é muito boa. Em alguns sentidos, é extraordinária", afirmou.

Já Moon afirmou que o recente encontro com Kim rendeu uma série de avanços e avaliou como muito significativo o fato de o líder da Coreia do Norte ter se comprometido com a desnuclearização do país.

"Kim me expressou ter uma ferrenha confiança no senhor (Trump). O senhor é, com efeito, a única pessoa que pode resolver isso", disse Moon ao presidente americano.

O secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, disse hoje que pretende viajar em breve para a Coreia do Norte para preparar a segunda cúpula entre Trump e Kim.

A expectativa é que Moon tentasse convencer Trump a apoiar um tratado de paz entre as duas Coreias, que seguem tecnicamente em guerra. Kim quer avanços nesse tema em troca de tomar medidas concretas exigidas pela Casa Branca sobre a desnuclearização.

No entanto, os dois presidentes não falaram sobre o tema na entrevista depois do encontro.

Internacional