PUBLICIDADE
Topo

Kavanaugh admite ter bebido muito na juventude, mas nega denúncias de assédio

26/09/2018 16h02

Washington, 26 set (EFE).- O juiz Brett Kavanaugh, indicado pelo presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, para assumir a vaga em aberto na Suprema Corte, admitiu nesta quarta-feira ter bebido "muitas cervejas" quando era estudante, mas negou categoricamente as acusações de assédio sexual feitas contra ele por três mulheres.

"Bebia cervejas com amigos durante os fins de semana. Às vezes eram muitas. Em retrospectiva, disse e fiz coisas no ensino médio das quais me envergonho agora", afirmou Kavanaugh em um testemunho que será lido amanhã em uma audiência do Comitê de Justiça do Senado, órgão responsável por indicar ou não ao plenário sua nomeação.

A primeira mulher a acusar Kavanaugh de assédio, Christine Blasey Ford, também será ouvida pelos senadores amanhã. Ela afirma que o juiz tentou atacá-la quando ambos estavam no ensino médio.

"Nunca fiz nada que parecesse nem remotamente ao que Ford descreve. As novas denúncias são calúnias de última hora", afirmou.

O depoimento do juiz foi divulgado pelo próprio comitê em um momento em que aumenta a pressão sobre os senadores para adiar o voto de recomendação para a indicação devido às novas denúncias.

Após Ford, outras duas mulheres - Debora Ramírez e Julie Swetnick - acusaram o juiz de ter um comportamento sexual inadequado na adolescência. Swetnick, inclusive, revelou ter testemunhado abusos de outras mulheres em festas que os dois frequentavam.

"Não me deixarei intimidar para me retirar desse processo. Esse esforço para destruir meu bom nome não fará com que eu perca a cabeça. As vis ameaças de violência contra a minha família não me farão perder a cabeça", reiterou Kavanaugh.

Apesar das denúncias, Trump saiu em defesa do indicado e afirmou que as denúncias são um esforço organizado pela oposição democrata para barrar a nomeação de Kavanaugh para a Suprema Corte.