PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Turquia mostrou à chefe da CIA gravações do caso Khashoggi, diz jornal

24/10/2018 08h49

Istambul, 24 out (EFE).- As autoridades da Turquia mostraram à diretora da Agência Central de Inteligência (CIA, na sigla em inglês) dos Estados Unidos, Gina Haspel, todas as provas das quais dispõem os investigadores do suposto assassinato do jornalista saudita Jamal Khashoggi, inclusive gravações de áudio, afirmou nesta quarta-feira o jornal turco "Sabah".

A diretora da CIA visitou ontem Ancara para obter informações e documentação sobre o caso Khashoggi, que foi sequestrado e assassinado dentro do consulado da Arábia Saudita em Istambul em 2 de outubro.

Haspel compartilhará esses dados com o presidente do seu país, Donald Trump, segundo confirmou ontem o vice-presidente americano, Mike Pence.

As autoridades turcas não comentaram oficialmente a visita de Haspel, nem consta na agenda oficial com quem ela se reuniu em Ancara, mas, segundo o jornal "Sabah", a funcionária americana foi recebida pelo alto escalão do serviço secreto turco, o MIT.

Os funcionários turcos mostraram a Haspel todas as provas das quais dispõem, entre elas as imagens das câmeras de segurança e "gravações de áudio", segundo o jornal, apesar de que, até agora, não há confirmação oficial sobre a existência de registros auditivos relacionados com o caso.

O presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, reiterou hoje que seu país tem a responsabilidade de esclarecer este "crime selvagem cometido dentro de suas fronteiras", não só como um dever para com a vítima, mas para com a justiça.

"Trabalhamos para esclarecer o assunto sem acusar ninguém. Ontem, compartilhamos com a opinião pública internacional todas as informações das quais dispõem as nossas unidades judiciais e o serviço secreto até agora", disse o presidente em Ancara.

"Assim que obtivermos mais indícios que possam esclarecer o assassinato, os compartilharemos com o público", prometeu o presidente.

Internacional