PUBLICIDADE
Topo

Cúpula de Istambul respalda trégua na região síria de Idlib

27/10/2018 17h47

Istambul, 27 out (EFE).- Os governantes de Alemanha, França, Turquia e, com reservas, da Rússia concordaram neste sábado em respaldar o cessar-fogo pactuado entre Moscou e Ancara para a região síria de Idlib, a última área ainda sob controle da oposição ao regime sírio.

"Há um acordo de cessar-fogo em Idlib e nos reunimos para garantir que esse cessar-fogo seja sustentado e seguro", afirmou a chanceler alemã, Angela Merkel, ao final de uma cúpula sobre a Síria em Istambul na qual participaram também os presidentes da Rússia, Vladimir Putin; da França, Emmanuel Macron; e da Turquia, Recep Tayyip Erdogan.

Merkel disse confiar que essa trégua se veja acompanhada de um processo político que permita uma solução pacífica para Idlib e se possa evitar uma "catástrofe humanitária".

A chefe do governo alemão também advertiu que a comunidade internacional não permitirá o uso de armas químicas no conflito.

Sua postura foi respaldada por Macron, que destacou que é preciso respeitar o pacto fechado no mês passado entre a Rússia, que apoia o governo do presidente Bashar al Assad, e a Turquia, que respalda a parte dos grupos rebeldes.

Por sua vez, Erdogan assegurou que seu país vigiará esses grupos e que a Rússia deve fazer o mesmo com a "ameaça" representada pelo regime sírio.

Putin, no entanto, expressou uma opinião um pouco discrepante, ao pôr em dúvida que o pacto tenha sido cumprido por parte dos rebeldes que, segundo garantiu, não abandonaram totalmente a área desmilitarizada de 15 por 20 quilômetros no sul de Idlib.

"Esperamos da Turquia que garanta a retirada dos grupos armados e do armamento pesado. A Turquia está fazendo o que pode. Mas se os grupos radicais ficarem, e continuarem com suas provocações, a Rússia se reserva o direito a apoiar o governo sírio", frisou Putin, em alusão a uma futura ofensiva do regime.