PUBLICIDADE
Topo

Justiça paraguaia aprova extradição de narcotraficante para o Brasil

Marcelo Fernando Pinheiro Veiga, o Marcelo Piloto, foi preso pela polícia do Paraguai - Divulgação/Secretaria de Estado de Segurança Pública do RJ
Marcelo Fernando Pinheiro Veiga, o Marcelo Piloto, foi preso pela polícia do Paraguai Imagem: Divulgação/Secretaria de Estado de Segurança Pública do RJ

27/10/2018 15h54

Assunção, 27 out (EFE).- A Justiça do Paraguai aprovou a extradição para o Brasil do traficante de drogas Marcelo Pinheiro, conhecido como Marcelo Piloto e membro da facção criminosa Comando Vermelho, que cumpre pena em território paraguaio por homicídio doloso e produção de documentos falsos.

O documento, divulgado neste sábado (27), mas com data de sexta-feira, estabelece que a extradição será realizada uma vez que Marcelo Piloto "liquide as causas pendentes" que tem no Paraguai.

Leia também:

No Brasil, Marcelo Piloto é requerido pelo Tribunal de Execuções Penais do Estado do Rio de Janeiro para cumprir duas sentenças pelas quais foi condenado a 21 anos de prisão em um dos casos, e a cinco anos e quatro meses em outro, conforme diz o ofício da Corte Suprema de Justiça (CSJ) paraguaia.

O traficante está detido no Paraguai desde dezembro de 2017, quando foi preso na cidade da Encarnación após uma operação internacional conjunta entre várias agências de combate às drogas.

A polícia paraguaia abortou esta semana um plano para tentar libertar o traficante, que resultou na morte de três supostos integrantes do Comando Vermelho e na detonação controlada de um carro lotado de explosivos com o qual os criminosos pretendiam destruir as paredes da prisão em que Marcelo Piloto está detido.