PUBLICIDADE
Topo

Juiz rejeita adiar prisão de ex-assessor de Trump

25/11/2018 18h18

Washington, 25 nov (EFE).- George Papadopoulos, ex-assessor da campanha eleitoral do agora presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, deverá entrar na prisão na segunda-feira, após um juiz do Distrito de Columbia ter rejeitado neste domingo o pedido de adiamento, segundo a imprensa local.

Papadopoulos terá que se apresentar amanhã na prisão federal de Oxford, no estado de Wisconsin, após o juiz responsável pelo caso, Randolph Moss, ter se recusado a adiar o encarceramento por considerar que o ex-assessor não conseguiu apresentar argumentos que justificassem a medida, informou o portal "Politico".

Em setembro, o ex-assessor de Trump se tornou o primeiro integrante da equipe de campanha de Trump a ser condenado pelo envolvimento na chamada "trama russa".

Papadopoulos foi sentenciado a duas semanas de prisão por ter mentido ao FBI, além de um ano de liberdade vigiada, uma multa de US$ 9,5 mil e 200 horas de trabalho comunitário.

Na solicitação de adiamento, a defesa alegou que deveria ser oferecido ao cliente um "modesto alojamento" até que o recurso fosse decidido e que, caso o resultado fosse favorável a Papadopoulos, não deveria ser ditado o encarceramento.

O ex-assessor admitiu que mentiu ao FBI em janeiro de 2017, quando supostamente ainda buscava um cargo no incipiente gabinete de Trump, sobre uma conversa que teve em abril de 2016 com um professor russo que dizia ter conexões com o Kremlin.

O procurador especial Robert Mueller investiga desde maio de 2017, de maneira independente do governo, os possíveis laços entre membros da campanha de Trump e o Kremlin, o qual as agências de inteligência acusam de interferir nas eleições de 2016.