PUBLICIDADE
Topo

Facções rebeldes atacam Aleppo após suposto ataque químico

29/11/2018 13h07

Beirute, 29 nov (EFE).- Facções rebeldes sírias atacaram nesta quinta-feira Aleppo, no norte do país, pela primeira vez desde que no último sábado o governo acusou os opositores de lançarem gás cloro contra vários bairros da cidade, informaram ativistas e fontes oficiais.

O Observatório Sírio de Direitos Humanos indicou em comunicado que as facções rebeldes lançaram 38 projéteis contra áreas do bairro de Al Zahraa, no leste da cidade, controlada pelo governo sírio.

Segundo a ONG, esta é a primeira operação na região desde o último sábado, quando três bairros residenciais de Aleppo foram atacados com gás cloro.

O governo da Síria acusou os rebeldes de terem lançado esta substância química, o que desencadeou um ataque da aviação russa contra a área desmilitarizada de Idlib, pela primeira vez desde o acordo firmado por Rússia e Turquia em setembro.

O porta-voz da facção rebelde Legião da Misericórdia, Waiel Olwan, disse à Agência Efe por telefone que "o Exército turco bombardeou posições do regime" sírio na província de Aleppo.

Segundo o porta-voz, estes ataques ocorreram após as tentativas fracassadas do regime de se infiltrar em povoados de Aleppo, controlados pelo opositor Exército Livre da Síria, apoiado pela Turquia.

O porta-voz da facção disse que "houve uma troca de bombardeios" entre ambas as partes beligerantes, que causaram perdas humanas, embora não tenha especificado o número.

A agência de notícias estatal "Sana" informou que "organizações terroristas" renovaram os ataques contra bairros residenciais de Aleppo, "causando danos materiais em várias casas".

Segundo a agência, as unidades do Exército sírio que operam na província "responderam imediatamente e com as armas apropriadas" causando "perdas diretas" nas fileiras dos "terroristas".