Topo

Áustria prende ex-militar acusado de espionar para a Rússia por 20 anos

2018-11-30T17:21:00

30/11/2018 17h21

Viena, 30 nov (EFE).- Um coronel aposentado do Exército da Áustria acusado de espionar para a Rússia durante 20 anos foi detido e está sob custódia policial, segundo informou a Procuradoria de Salzburgo nesta sexta-feira.

O detido, de 70 anos e cuja identidade não foi divulgada, é acusado de "traição", "espionagem" e "revelação de segredos militares", e tinha ficado em liberdade com medidas cautelares em 13 de novembro, mas a Procuradoria apelou contra a decisão no Tribunal Regional Superior de Linz, que ordenou a detenção.

O coronel supostamente espionou de 1992 até setembro deste ano para a Rússia e trabalhou no departamento de planejamento do Ministério da Defesa austríaca.

Segundo a imprensa austríaca, o acusado deu informações gerais sobre o funcionamento do ministério, assim como dados pessoais dos colegas e sobre sistemas de armamento e imigração, entre outros assuntos. Por essas informações, teria recebido cerca de 300 mil euros dos serviços russos.

A revelação deste caso de espionagem no início do mês pelo chanceler austríaco, o conservador Sebastian Kurz, tensionou as relações com a Rússia, que classificou as acusações como "inadmissíveis".

O governo austríaco, formado por democratas-cristãos e ultradireitistas, tinha até agora boas relações com Moscou.

Viena foi o primeiro destino no exterior do presidente russo, Vladimir Putin, após a reeleição neste ano, e o governante russo compareceu em agosto ao casamento da ministra das Relações Exteriores austríaca, Karin Kneissl.

Ao contrário da maioria dos países da UE, a Áustria não expulsou diplomatas russos após o envenenamento do ex-espião russo Sergei Skripal e sua filha Yulia no Reino Unido.

Mais Internacional