Topo

Bolsonaro anuncia que não manterá intervenção federal no Rio

2018-11-30T16:24:00

30/11/2018 16h24

São Paulo, 30 nov (EFE).- O presidente eleito Jair Bolsonaro afirmou nesta sexta-feira que não prorrogará a intervenção federal na segurança do estado do Rio de Janeiro, decretada pelo atual governo em fevereiro deste ano e prevista para terminar em dezembro.

"Eu assumindo, não a prorrogarei", disse Bolsonaro a jornalistas após participar de uma cerimônia de graduação de sargentos da Escola de Especialistas da Aeronáutica no interior de São Paulo.

Bolsonaro voltou afirmar que dará apoio jurídico às forças de segurança para que elas não respondam por processos após cumprirem suas missões. Por esse motivo, o capitão da reserva avaliou que seria "irresponsável" estender a intervenção sem uma garantia legislativa para policiais militares, civis e federais.

A proteção política dos integrantes das forças de segurança foi uma pauta da campanha de Bolsonaro, mas o presidente eleito ainda não tinha se pronunciado sobre a manutenção do decreto de intervenção federal no Rio assinado pelo presidente Michel Temer.

"Eu quero uma retaguarda jurídica para as pessoas que fazem a segurança no nosso Brasil. Não posso admitir que um integrante das Forças Armadas, da Polícia Militar, da Polícia Federal, após o cumprimento da missão, responda a um processo", afirmou.

Bolsonaro também afirmou que o encontro de ontem com o assessor de Segurança Nacional dos Estados Unidos, John Bolton, foi "bastante proveitoso" e simboliza o início de "novos tempos" para os países.

"Finalmente, graças ao povo brasileiro, foi eleito um presidente que não odeia os Estados Unidos. Pelo contrário, queremos ter grandes relações com os Estados Unidos", disse o presidente eleito.

Segundo Bolsonaro, ele e Bolton conversaram sobre temas como Cuba, Venezuela, Israel, acordos econômicos, barreiras alfandegárias e, inclusive, um acordo militar entre os dois países.