Topo

López Obrador agradece "tratamento" de Trump e presença de Maduro no México

01/12/2018 18h52

Cidade do México, 1 dez (EFE).- O presidente do México, Andrés Manuel López Obrador, agradeceu em seu primeiro discurso após assumir o cargo o "tratamento respeitoso" que recebeu do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, desde que ganhou as eleições, assim como a presença do presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, nos atos de hoje.

"Quero destacar que desde 1º de julho, dia da minha eleição, recebi um tratamento respeitoso do presidente Donald Trump", enfatizou López Obrador na tribuna do Palácio Legislativo de San Lázaro.

O presidente mexicano agradeceu a Trump por ter enviado sua filha, Ivanka, à cerimônia de posse, em um gesto de "amizade". Na delegação americana, a maior entre os 50 países que enviaram representantes, também está o vice-presidente Mike Pence.

López Obrador enumerou os líderes internacionais que chegaram ao Congresso para serem testemunhas da cerimônia de posse e agradeceu por sua presença.

O momento mais polêmico aconteceu quando o líder mexicano fez referência ao presidente venezuelano, Nicolás Maduro, que estava convidado à posse mas não chegou a tempo, por isso foi diretamente ao Palácio Nacional para a recepção privada com chefes de Estado e de Governo.

Ao escutar o nome de Maduro, um bom número de legisladores levantaram suas vozes para entoar o grito de " Ditador!".

López Obrador fez uma referência especial ao primeiro-ministro canadense, Justin Trudeau, que não estava presente e enfatizou que está falando com representantes de EUA e Canadá para ir "além" do acordo comercial T-MEC, assinado ontem entre os três parceiros após um intenso processo de renegociação do Tratado de Livre-comércio da América do Norte (Nafta).

O objetivo, continuou, é conseguir "um acordo de investimento entre empresas e governos das três nações para impulsionar o desenvolvimento dos países centro-americanos e o nosso", a fim de enfrentar o fenômeno migratório.

O presidente mexicano enfatizou que se apegará aos princípios constitucionais de "não-intervenção, autodeterminação dos povos e solução pacífica das controvérsias, e a cooperação para o desenvolvimento".

"Manteremos boas relações com todos os povos", ressaltou.

Quando começou a sessão do Congresso, integrantes do conservador Partido Ação Nacional (PAN) exibiram um cartaz que dizia "Maduro, você não é bem-vindo".