Topo

Países do G20 concordam em realizar reforma da OMC, diz União Europeia

01/12/2018 15h02

Buenos Aires, 1 dez (EFE).- Representantes da União Europeia (UE) que participam da reunião do G20 desde ontem, em Buenos Aires, afirmaram neste sábado que os países do grupo incluirão na declaração final da cúpula uma defesa da reforma da Organização Mundial de Comércio (OMC).

Em um encontro com jornalistas na capital argentina, os representantes do bloco europeu disseram que o tema foi incluído na minuta inicial da declaração conjunta que será publicada ao término do evento neste sábado. Segundo eles, a inclusão significa um "grande avanço" nas negociações.

O documento final, de cerca de sete páginas, incluirá também temáticas como clima, definido pelos representantes da UE como o "grande elefante na sala", o excesso de capacidade de produção de aço e as tarifas na economia digital.

Além disso, segundo a UE, o texto incluirá a importância da multilateralismo, um termo muito discutido, sobretudo devido à guerra comercial entre Estados Unidos e China, que pode se encerrar hoje após o jantar entre Donald Trump e Xi Jinping.

Além disso, as fontes da UE explicaram que o texto tratará os assuntos da maneira mais superficial possível para contar com a maior quantidade de apoio entre os líderes do G20.

O conflito do aço, provocado principalmente pela capacidade de produção da China e pelas restrições implementadas pela OMC, é um dos temas que serão abordados de maneira superficial.

A declaração, segundo os representantes da UE, também terá dedicará um parágrafo aos refugiados e outro aos imigrantes, também de forma bastante rasa. A previsão é que os dois temas sejam aprofundados apenas a partir do próximo ano, quando o Japão assume a presidência rotativa do G20.

A declaração final do G20 será anunciada na tarde deste sábado em um evento que será comandado pelo presidente da Argentina, Mauricio Macri.