Topo

Macron disse a Bin Salman que aceite cooperação para resolver caso Khashoggi

Bandar Al-Jaloud/Saudi Royal Palace/AFP
Emmanuel Macron e Mohammed bin Salman se falam durante a cúpula do G20, em Buenos Aires Imagem: Bandar Al-Jaloud/Saudi Royal Palace/AFP

Em Buenos Aires

02/12/2018 02h33

O presidente da França, Emmanuel Macron, disse neste sábado (1º) que pediu ao príncipe herdeiro da Arábia Saudita, Mohammed bin Salman, com quem se encontrou na Cúpula do G20 em Buenos Aires, que aceite a cooperação internacional para investigar o crime do jornalista no consulado do país em Istambul, na Turquia.

"Disse estritamente que era aquilo sobre o que queria que houvesse cooperação. Três eixos: todos queremos ter uma ideia clara dos fatos que levaram ao crime", declarou Macron em entrevista coletiva ao final da cúpula do G20.

Macron ressaltou a necessidade de que o resultado das investigações que são feitas na Turquia e na Arábia Saudita sejam transparentes e tenham credibilidade.

Khashoggi foi assassinado por um grupo de agentes que chegaram da Arábia Saudita - alguns próximos ao príncipe herdeiro - no consulado em Istambul, aonde foi no dia 2 de outubro para pegar documentos que lhe permitiriam se casar com sua noiva turca.

Tanto a CIA como a Turquia acusam Bin Salman de estar envolvido no crime.

Macron afirmou que também falou com o príncipe herdeiro sobre a guerra no Iêmen, da qual disse é necessário "chegar a uma solução política rápido".

O conflito começou no final de 2014, quando os rebeldes houthis assumiram o controle de Sana e de outras províncias do norte do país.