Topo

Polícia israelense detém 40 médicos com diplomas falsos

02/12/2018 06h45

Jerusalém, 2 dez (EFE).- A Polícia de Israel deteve neste domingo 40 médicos, médicos residentes e farmacêuticos sob a suspeita de que trabalhavam em hospitais e outras instituições públicas com diplomas irregulares de universidades da Armênia.

Esta manhã, agentes entraram nas casas dos suspeitos, procedentes da cidade de Malkia, no norte, depois de uma investigação na qual participaram policiais à paisana e que começou com um pedido do Ministério de Saúde israelense, após receber uma denúncia anônima, informou em comunicado a Polícia.

Durante a investigação se descobriu que tinham estudado medicina em universidades no exterior.

Os suspeitos, com ajuda de um intermediário, "viajaram e estudaram nessas universidades durante um curto período de tempo após o que receberam o seu certificado de graduação, sem completar os estudos requeridos", e depois apresentaram seus diplomas ao Ministério de Saúde israelense para conseguir as licenças para trabalhar, segundo a nota.

Nas investigações policiais foram encontrados panfletos em árabe que diziam: "Tenho o prazer de anunciar a estudantes com dificuldade para terminar seus estudos a possibilidade de serem transferidos para universidades na Armênia e na Geórgia, sem perder tempo de estudo".