Topo

Promotor que investiga Odebrecht no Peru vira alvo de processo disciplinar

03/12/2018 22h18

Lima, 3 dez (EFE).- A Procuradoria da Nação abriu nesta segunda-feira um processo disciplinar contra o promotor que investiga o escândalo da Odebrecht no Peru, José Domingo Pérez, por supostamente ter vazado à imprensa o interrogatório que fez com o procurador-geral, Gonzalo Chávarry, informou a imprensa local.

Uma resolução da procuradoria afirma que Pérez incorreu em infração administrativa por supostamente ter vazado ao jornal "El Correo", entre outros meios de comunicação, as perguntas que fez a Chávarry, durante o interrogatório realizado na sexta-feira passada por seus supostos vínculos com a líder do partido Força Popular, a opositora Keiko Fujimori, investigada por lavagem de dinheiro.

O documento, divulgado pela emissora "Canal N", dá um prazo de cinco dias ao promotor Pérez para responder às acusações e entregar cópias certificadas do seu material probatório.

Pérez convidou Chávarry a fazer "um pronunciamento de apoio e respeito ao Estado de direito e o cumprimento da norma para todos os cidadãos", após interrogá-lo no caso aberto contra Keiko Fujimori.

Nesse interrogatório, Chávarry negou ter favorecido o partido de Keiko na investigação por supostamente ter recebido repasses na sua campanha de 2011 da Odebrecht, segundo informou o jornal "El Comercio".

Na opinião de Pérez, o procurador-geral faz parte de uma máfia corrupta no interior do Judiciário peruano, que negociou resoluções judiciais, nomeações, assim como favores para políticos e empresários, em troca de dinheiro.

Dias antes, Chávarry tinha rejeitado a possibilidade de ser interrogado por Pérez e assegurou que podia despedi-lo a qualquer momento, se incorresse em alguma infração no seu trabalho.

O promotor Pérez, especializado em lavagem de dinheiro, investiga atualmente Keiko Fujimori e os ex-presidentes Alan García (1985-1990, 2011-2016), Ollanta Humala (2011-2016) e Pedro Pablo Kuczynski (2016-2018) por supostos repasses às suas campanhas ou subornos em troca de grandes obras de infraestrutura no país.