Topo

Sánchez revela metas ambiciosas para reduzir emissões poluentes na Espanha

03/12/2018 14h38

Katowice (Polônia), 3 dez (EFE).- O presidente do governo espanhol, Pedro Sánchez, antecipou nesta segunda-feira que a Espanha estabelecerá metas mais ambiciosas na redução de emissões poluentes, de modo a diminuir em 37% os níveis atuais até 2030 e pelo menos 90% até 2050.

Sánchez anunciou esse compromisso em discurso na sessão inaugural da Cúpula sobre a Mudança Climática (COP24) realizada na cidade de Katowice, na Polônia.

O governante espanhol, que compareceu à cúpula junto à ministra de Transição Ecológica, Teresa Ribera, ressaltou que é necessário atuar mais depressa com as medidas para reduzir emissões. Nesse contexto, disse que "em breve" o governo apresentará um projeto de lei de transição energética e contra a mudança climática.

Diante de líderes e diretores de organizações internacionais presentes no evento, Sánchez garantiu que a Espanha cumprirá o objetivo nacional de emissões até 2020, mas afirmou que o atual governo quer passar a iniciativa adiante.

"Meu governo aposta com determinação na eficiência, nas energias renováveis e na mobilidade elétrica", ressaltou. Segundo ele, é preciso oferecer certeza e confiança não só aos investidores econômicos, mas também aos cidadãos.

Foi então que Sánchez anunciou a intenção de reduzir em 37% as atuais emissões poluentes na Espanha até 2030 e, 20 anos depois, em 2050, em 90% para alcançar a neutralidade no carbono.

Sánchez explicou que a qualidade do ar, o impacto sobre a população mais vulnerável e a modernização da indústria são motores do compromisso do governo.

Em consonância com o discurso, defendeu a aprovação de um pacote de medidas para combater a mudança climática e trabalhar em um caminho viável de "descarbonização" da economia.