Topo

Delegação houthi parte rumo à Suécia para consultas de paz

04/12/2018 13h07

Sana, 4 dez (EFE).- Um avião com a delegação do movimento rebelde houthi partiu nesta terça-feira de Sana para a Suécia para negociações de paz, apoiadas pela Organização das Nações Unidas (ONU) e que devem acontecer esta semana com o governo do Iêmen.

Os houthis foram para as consultas de paz, mesmo sem data e local definidos. Esta será uma nova tentativa de conversa, após o fracasso da rodada de setembro, em Genebra, quando os rebeldes não foram.

O avião, de bandeira kuwatiana, decolou do Aeroporto Internacional El Rahaba, na capital, com o enviado especial da ONU para o Iêmen, Martin Griffiths. Ele chegou ontem à capital iemenita para "coordenar e preparar" à delegação houthi para as negociações.

O líder do comitê das negociações houthis, Mohammed Abdelsalam, afirmou hoje que eles não pouparão "esforços para que as consultas tenham sucesso, tragam a paz, acabem com a guerra e com o assédio", de acordo com o canal "Almasirah", a TV dos rebeldes.

Uma das condições para que participassem das conversas na Suécia era a retirada de um grupo de feridos do Iêmen. Essa exigência foi cumprida ontem depois que a coalizão árabe, liderada pela Arábia Saudita, que controla o espaço aéreo iemenita, facilitou a evacuação a pedido de Griffiths "por razões humanitárias e para construir confiança entre as partes", anunciou o porta-voz da coalizão, o coronel Turki Al-Maliki.

Os houthis não participaram da última rodada de conversas, entre outros motivos, porque exigiam o envio de combatentes feridos ao exterior para tratamento médico.

A guerra no Iêmen começou no final de 2014 quando os houthis tomaram o controle de Sana e o conflito se generalizou em março de 2015 com a intervenção da coalizão liderada pela Arábia Saudita, que atua a favor do governo do presidente iemenita, Abdrabuh Mansour Hadi.