Topo

Portos ucranianos no Mar de Azov são desbloqueados parcialmente, segundo Kiev

04/12/2018 08h44

Kiev, 4 dez (EFE).- A Rússia desbloqueou parcialmente os portos ucranianos no Mar de Azov, anunciou nesta terça-feira o ministro de Infraestrutura da Ucrânia, Volodimir Omelian.

"Os portos de Berdiansk e Mariupol foram desbloqueados parcialmente. Os navios entram e saem (pelo Estreito de Kerch) em direção aos portos ucranianos", disse Omelian em declarações publicadas no site de seu departamento.

O ministro indicou que, "assim como antes, as embarcações são detidas e examinados pela parte russa, mas a navegação foi parcialmente restabelecida".

Omelian destacou que o desbloqueio dos portos ucranianos foi possível graças às ações coordenadas das autoridades do país e à firme "e unívoca resposta internacional" à captura pela Rússia de três navios da marinha da Ucrânia e de seus 24 tripulantes no Mar Negro.

A Justiça russa acusou os marinheiros ucranianos, que estão em prisão preventiva em Moscou, de "cruzamento ilegal da fronteira em grupo organizado com uso de armas e/ou a ameaça de seu uso", um crime que é punido com até seis anos de prisão.

No incidente, ocorrido nas águas do Mar Negro em 25 de novembro, a guarda costeira russa investiu contra um dos navios ucranianos e abriu fogo contra eles, ferindo três de seus tripulantes.

O presidente russo, Vladimir Putin, garantiu que se os efetivos da guarda costeira tivessem agido de outra forma, "seria preciso levá-los todos a julgamento", ao defender o uso da força contra os navios ucranianos.

A Câmara dos Deputados da Rússia propôs ontem condecorar os efetivos da guarda costeira envolvidos no episódio, pois, na opinião do presidente do Legislativo, eles "agiram de maneira impecável e corajosa" na defesa das fronteiras russas.