Topo

Detenções de ilegais na fronteira EUA-México batem recorde em novembro

06/12/2018 22h03

Washington, 6 dez (EFE).- As detenções de imigrantes ilegais na fronteira entre Estados Unidos e México aumentaram em novembro deste ano para 51.856 pessoas, um novo recorde desde que Donald Trump assumiu a presidência americana em janeiro de 2017, informaram nesta quinta-feira as autoridades.

Este número representa um aumento a respeito de outubro quando se bateu o recorde de detenções na fronteira sul americana na era Trump com 51.001 imigrantes irregulares detidos, segundo dados do Escritório de Alfândegas e Proteção Fronteiriça (CBP, em inglês).

Entre os detidos durante o mês de novembro havia pelo menos 25.172 membros de famílias e 5.283 menores não acompanhados, frente aos dados de outubro quando houve 23.115 integrantes de unidades familiares e 4.982 crianças e adolescentes que viajavam sozinhos.

Estas pessoas foram capturadas pelas autoridades americanas quando cruzaram o país vindas do México por áreas que não eram portas oficiais de entrada.

A porta-voz do Departamento de Segurança Nacional (DHS, em inglês), Katie Waldman, disse em comunicado que "os números da fronteira de novembro de 2018 são o resultado previsível de um sistema de imigração quebrado - incluindo ordens judiciais defeituosas - que usurpa a vontade do povo americano que pediu repetidamente por fronteiras seguras".

"Para abordar a crise óbvia na nossa fronteira, o presidente acionou recentemente o exército e assinou uma nova medida que, junto a uma regulação conjunta com o Departamento de Justiça, faz com que os que cruzam a fronteira ilegalmente não sejam aptos para receber asilo", indicou Waldman.

De acordo com os últimos dados divulgados pelo Pentágono, 5.600 militares dos EUA estão posicionados neste momento nos estados do Texas (2.400), do Arizona (1.400) e da Califórnia (1.800) para enfrentar a chegada de caravanas de imigrantes à fronteira.

Há dois dias, o Departamento de Defesa dos EUA aprovou a prorrogação até 31 de janeiro da missão das tropas enviadas à fronteira com o México, como tinha solicitado o DHS.

No último dia 9 de novembro, Trump assinou uma ordem que faz com que aqueles imigrantes que entrem nos EUA pela fronteira com o México de forma irregular não tenham opção de pedir asilo; mas a medida foi paralisada de forma temporária por um juiz.