PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Rajoelina vence eleições presidenciais em Madagascar com 55,66% de votos

27/12/2018 15h17

Antananarivo, 27 dez (EFE).- A Comissão Eleitoral Nacional Independente (CENI) de Madagascar proclamou nesta quinta-feira como vencedor do segundo turno das eleições presidenciais o ex-presidente Andry Rajoelina, com 55,66% dos votos, à frente do também ex-mandatário Marc Ravalomanana.

Ravalomanana, por sua vez, obteve 44,34% de apoio dos eleitores neste segundo turno, realizado em 19 dezembro, cuja taxa de participação foi inferior à do primeiro, em 7 de novembro, e ficou em torno de 48%.

Trata-se de um anúncio provisório, até que o Tribunal Constitucional do país analise possíveis recursos e ratifique os resultados em um prazo máximo de nove dias, antes de 5 de janeiro.

Em seu discurso em Antananarivo, o presidente da CENI, Hery Rakotomanana, se concentrou nas acusações contra a instituição que comanda e pediu aos dois candidatos que se comportassem como "verdadeiros patriotas" e deixassem de lado as acusações.

"Permitam-me dirigir-me aos dois candidatos, peço que silenciem os egos de vocês e encontrem um consenso porque a população já não poderá suportar uma nova crise", disse Rakotomanana.

Ravalomanana, que nas últimas semanas fez em diversas ocasiões denúncias de fraude eleitoral, não compareceu hoje à cerimônia, e seu partido já apresentou recursos ao Tribunal Constitucional.

Além disso, o candidato fez um pedido aos cidadãos do país para que compareçam este sábado à Praça 13 de Maio, em Antananarivo, para "defender sua eleição".

Se nada mudar antes de 5 de janeiro, Rajoelina será o encarregado de dirigir a paupérrima ilha africana - na qual mais do 76% da população vive com menos de US$ 2 por dia, segundo dados do Banco Mundial - durante os próximos cinco anos.

Os dois candidatos prometeram durante a campanha mais eletricidade e mais terras cultiváveis com o objetivo de promover segurança alimentar à população, que é majoritariamente rural. EFE

Internacional