PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Depois de Emirados Árabes, Bahrein também reabrirá embaixada na Síria

28/12/2018 08h50

Manama, 28 dez (EFE).- O Bahrein anunciou nesta sexta-feira a reabertura da sua embaixada em Damasco, um dia depois de os Emirados Árabes informarem que retomariam as atividades diplomáticas na capital da Síria.

O Ministério das Relações Exteriores bareinita afirmou em comunicado que o trabalho diplomático "continua" na sua embaixada na Síria, que foi encerrada meses depois do início da guerra, em 2011. O texto sugere que a embaixada não chegou a ser totalmente fechada e que apenas diminuiu o nível de representação diplomática.

Conforme a nota, os voos entre ambos os países "também continuaram sem interrupção".

O Ministério ressaltou a disposição do Bahrein de continuar as relações com a Síria para "manter a independência, a soberania e as integridades territoriais" do país. A nota enfatizou a importância de "ativar o papel pan-árabe para prevenir qualquer ingerência regional em assuntos internos", assim como para consolidar a estabilidade nacional.

Os países árabes do Golfo Pérsico romperam relações diplomáticas com o governo do presidente Bashar al-Assad após a explosão do conflito, em 2011. A decisão dos Emirados Árabes e do Bahrein faz parte das aproximações que os países árabes estão fazendo da Síria, em um momento no qual o presidente recuperou o controle da maior parte do seu território.

No último dia 15, o presidente sudanês, Omar al-Bashir, fez uma visita surpresa a Damasco, a primeira de um líder árabe ao país em guerra. No próximo dia 20, Liga Árabe estudará a possibilidade de readmitir a Síria como membro da organização.

A representação síria na Liga Árabe foi suspensa em novembro de 2011, depois que o governo começou a reprimir brutalmente a revolução que teve início em março daquele ano no país. EFE

Internacional