PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Trump pede que democratas voltem das férias para destravar governo

31/12/2018 14h46

Washington, 31 dez (EFE).- O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, pediu nesta segunda-feira aos congressistas democratas que retornem de suas férias para votar a favor de mais fundos para a segurança fronteiriça do país no orçamento e destravar assim parte do governo que está paralisada há 10 dias.

"Estou no Salão Oval. Democratas, voltem das suas férias agora e deem-nos os votos necessários para a segurança da fronteira, incluindo o muro. Os senhores votaram sim em 2006 e 2013. Uma vez mais, sim, mas comigo à frente. Eu o construirei, e rápido!", escreveu Trump na sua conta oficial do Twitter.

Trump assegurou que a construção "correta" de um muro na fronteira com o México funcionará "quase 100%" para evitar os fluxos de imigração ilegal e o tráfico de drogas que passam pelo limite sul dos EUA.

O governante americano qualificou como "incrível" que os legisladores democratas digam que erguer um muro é uma ideia antiquada e que não funciona.

"(Os democratas) dizem que (o muro) é tecnologia antiga, mas a roda também é. Agora dizem que é imoral, mas muito mais imoral é que as pessoas estejam morrendo (ao tentar atravessar a fronteira)", ressaltou Trump.

Desde o último dia 22 de dezembro, o governo entrou no seu terceiro fechamento parcial depois que a negociação entre republicanos e democratas no Congresso chegou a um ponto morto por causa da exigência de Trump de que o projeto de orçamento inclua uma verba de mais de US$ 5 bilhões para o muro fronteiriço.

Concretamente, a paralisia afeta agências de dez departamentos do Executivo, incluindo Transporte e Justiça; assim como dezenas de parques nacionais, que costumam ser uma grande atração turística.

O fechamento também prejudica 800.000 dos 2,1 milhões dos funcionários federais, que não receberão enquanto o governo permanecer fechado.

Tanto o governo como os congressistas deram indícios de que a cessação de atividades pode prolongar-se até o início de janeiro, quando os democratas, graças à sua nova maioria, devem assumir o controle da Câmara dos Representantes e poderiam aprovar um financiamento do governo sem destinar fundos para o muro ansiado por Trump.

Este é o terceiro fechamento que Trump enfrenta desde que chegou ao poder no início de 2017: o primeiro aconteceu em janeiro deste ano, coincidindo com o seu primeiro aniversário na Casa Branca, e se prolongou durante três dias; enquanto o segundo foi em fevereiro e durou apenas algumas horas. EFE

Internacional