PUBLICIDADE
Topo

Após forte tornado, 5 mil pessoas seguem desabrigadas em Havana

30/01/2019 16h04

Havana, 30 jan (EFE).- Quase 5 mil pessoas seguem desabrigadas em Havana após o intenso tornado que atingiu a capital cubana, deixando quatro mortos, 195 feridos e 1,9 mil imóveis danificados.

Do total, 4.780 desabrigados estão em casas de familiares e os outros 164 se hospedam temporariamente em centros de amparo montados pelo governo cubano, segundo o jornal estatal "Granma".

Mais de 70 feridos seguem internados em hospitais de Havana. Oito deles estão em situação delicada e quatro em estado grave.

O tornado atingiu cinco distritos de Havana no domingo. As rajadas de vento, que ultrapassaram 300km/h, destruíram cerca de 1.900 imóveis na capital cubana.

Os danos aos imóveis, muitos deles em bom estado de conservação antes do tornado, agravam a delicada situação da habitação em Cuba, que enfrenta um déficit de quase 1 milhão de lares.

Três dias depois do tornado, o primeiro registrado em Havana em 80 anos, as equipes do governo seguem limpando os escombros, retirando carros arrastados e postes derrubados das ruas. Elas têm o apoio de centenas de soldados das Forças Armadas Cubanas.

Dezenas de voluntários também tentam salvar tijolos e pedaços de madeira que possam ser utilizados na reconstrução das casas.

Até o momento, mais de 136 mil pessoas permanecem sem eletricidade. No domingo, o tornado deixou 500 mil cubanos sem energia, de acordo com dados oficiais.

O presidente de Cuba, Miguel Díaz-Canel, pediu agilidade para recuperar os imóveis danificados pelo tornado.

"Uma sociedade organizada, uma economia planificada, um governo socialista sempre terão reservas para que ninguém fique desamparado", escreveu Díaz-Canel no Twitter. EFE