Topo

Irã classifica sanções dos EUA de ato terrorista

20/02/2019 11h32

Teerã, 20 fev (EFE).- O presidente do Irã, Hassan Rohani, qualificou nesta quarta-feira de "ato terrorista" as sanções impostas pelos Estados Unidos sobre seu país e admitiu que a relação entre os dois nunca foi tão ruim como agora.

"Os EUA estão utilizando seu máximo potencial contra a nação do Irã e que a nação do Irã utilize sua máxima vontade, esperança e confiança diante deles", disse Rohani após uma reunião de seu gabinete de ministros.

O presidente iraniano acrescentou que "a medida dos EUA para pressionar bancos e companhias a não cooperarem com o Irã é uma medida 100% terrorista".

"Quando, agindo contra os regulamentos internacionais, (os EUA) ameaçam algum banco ou companhia com multas por cooperarem com um país, estão na realidade causando terror nos setores bancários e comerciais e fazendo um ato terrorista econômico", ressaltou Rohani.

Em maio de 2018, o presidente americano, Donald Trump, retirou os EUA do acordo nuclear assinado em 2015 entre o Irã e o G5+1 - que, além dos americanos, incluía França, Reino Unido, Rússia, China e Alemanha - e voltou a impor sanções sobre a República Islâmica.

As sanções americanas obrigaram as companhias estrangeiras a encerrarem seus negócios no Irã.

Trump advertiu que "os indivíduos e entidades que não cancelarem suas atividades com o Irã correm o risco de sofrer graves consequências".

As sanções de Washington tiveram influência notável na economia do Irã e provocaram mal-estar e instabilidade no país. EFE

Internacional