PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Pompeo se reúne com Guterres em meio à crescente tensão sobre Venezuela

21/02/2019 20h24

Nações Unidas, 21 fev (EFE).- O secretário de Estado americano, Mike Pompeo, se reuniu nesta quinta-feira com o secretário-geral da ONU, António Guterres, em meio a uma crescente tensão em torno da entrega de ajuda humanitária que a oposição venezuelana e Washington pretendem realizar neste final de semana.

O encontro, organizado de última hora a pedido dos Estados Unidos, aconteceu na sede das Nações Unidas em Nova York e durou cerca de 30 minutos.

Pompeo não quis fazer declarações nem em sua chegada nem ao final da reunião, mas a ONU tinha dado como certo previamente que a Venezuela estaria previsivelmente entre os pontos da discussão.

Em entrevista à emissora de televisão "NBC", o chefe da diplomacia americana defendeu hoje a necessidade de levar ajuda à Venezuela diante da enorme "crise humanitária" no país.

"Neste final de semana vamos tentar entregar centenas de toneladas de ajuda pagas pelos contribuintes americanos. Esperamos poder passar através da fronteira", disse Pompeo horas antes de encontrar Guterres.

O secretário de Estado assegurou que o presidente dos EUA, Donald Trump, está "determinado" a dar ajuda humanitária aos venezuelanos, apesar de o governo de Nicolás Maduro a rejeitar.

Maduro ordenou nesta quinta-feira o fechamento da fronteira entre seu país e o Brasil, ao mesmo tempo em que disse estar "avaliando" um decreto similar para a fronteira com a Colômbia, onde também está sendo armazenada a ajuda internacional organizada por países que reconhecem o líder do parlamento, Juan Guaidó, como presidente em exercício da Venezuela.

Perguntado pelos interesses americanos no país latino-americano, Pompeo ressaltou que Washington quer "tentar alimentar" os venezuelanos vítimas de uma crise causada pelo "seu próprio governo" e não quer ver na Venezuela um Estado que seja uma "marionete cubana".

Os EUA foram o primeiro país a reconhecer Guaidó e estão pressionando os militares venezuelanos para que abandonem Maduro e facilitem uma mudança no governo.

Frente à postura americana, a ONU reiterou hoje que "a única saída à crise passa por negociações políticas sérias".

O porta-voz de Guterres, Stéphane Dujarric, explicou que o secretário-geral e outros altos cargos da organização estiveram em contato com várias partes e voltaram a oferecer sua mediação.

Além disso, as Nações Unidas estão acompanhando de perto o confronto em torno da ajuda humanitária e estão preocupadas com que um aumento da tensão desemboque em violência, acrescentou Dujarric. EFE

Internacional