PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Venezuelanos feridos na fronteira são internados em hospital de Roraima

22.fev.2019 - Membros da Guarda Nacional Bolivariana fecham a fronteira entre Brasil e Venezuela - ROMMEL PINTO/FUTURA PRESS/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO
22.fev.2019 - Membros da Guarda Nacional Bolivariana fecham a fronteira entre Brasil e Venezuela Imagem: ROMMEL PINTO/FUTURA PRESS/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

22/02/2019 16h30

Pelo menos cinco venezuelanos foram internadas nesta sexta-feira (22) em um hospital de Boa Vista (RR) após ficarem feridas durante um confronto no estado de Bolívar, na fronteira com o Brasil, informaram à Agência Efe fontes oficiais.

As cinco pessoas foram baleadas, e três delas tiveram que se submeter a cirurgias, segundo fontes do governo de Roraima.

Os feridos chegaram ao Brasil em duas ambulâncias venezuelanas e estavam acompanhados por uma médica da mesma nacionalidade.

Pelo menos duas pessoas morreram e 15 ficaram feridas durante o confronto entre uma comunidade indígena e militares da Venezuela, de acordo com o deputado opositor Américo de Grazia.

Outros parlamentares do estado de Bolívar disseram que os indígenas, da comunidade kumarakapay, tentavam impedir o bloqueio da ajuda humanitária que está retida em Roraima enquanto o governo de Nicolás Maduro se nega a aceitá-la.

Apesar dos incidentes, o ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional, general da reserva Augusto Heleno, descartou nesta sexta-feira uma "ação agressiva" na fronteira com a Venezuela e ressaltou que é preciso "aguardar o desenvolvimento dos eventos".

Segundo o ministro, "por enquanto tudo está calmo" em Roraima, onde o governo federal começa hoje a armazenar alimentos e remédios que pretende enviar a partir de amanhã ao país vizinho, apesar do fechamento da fronteira decretado ontem por Maduro.

Internacional