PUBLICIDADE
Topo

Guaidó convoca militares para permitir entrada de ajuda humanitária

23/02/2019 14h24

Cúcuta (Colômbia), 23 fev (EFE).- O líder do Parlamento da Venezuela, Juan Guaidó, que se autoproclamou presidente interino do país, convocou neste sábado as Forças Armadas para se colocarem "do lado correto da história" e permitirem a entrada dos 14 caminhões que partiram de Cúcuta com 280 toneladas de ajuda humanitária.

A oposição venezuelana prevê receber hoje a ajuda humanitária doada por vários governos e que está armazenada no lado colombiano da fronteira, mas o governo do presidente Nicolás Maduro bloqueou as comunicações terrestres com o país vizinho.

Além disso, Guaidó afirmou que haverá "anistia" para todos os militares que facilitarem a entrada da ajuda humanitária.

"O chamado é muito claro às Forças Armadas: bem-vindos ao lado correto da história. A anistia é um fato para todos esses militares que estiverem dispostos hoje a ajudar o povo venezuelano e resgatar a nossa Constituição", disse Guaidó no centro de aprovisiono de ajuda da ponte Tienditas, que liga a cidade colombiana de Cúcuta com a cidade venezuelana de Ureña.

"A ajuda humanitária está à caminho da Venezuela de maneira pacífica e tranquila para salvar vidas neste momento", disse o opositor.

O envio da ajuda humanitária começou desde hoje cedo em várias passagens fronteiriças e em meio à tensão com as forças de segurança venezuelanas, por isso alguns incidentes ocorreram ao longo do dia. EFE