PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Veículos com ajuda para Venezuela são retirados da fronteira com o Brasil

23.fev.19 - A fronteira da Venezuela com o Brasil continua fechada desde a noite de quinta-feira (21) - Priscilla Torres
23.fev.19 - A fronteira da Venezuela com o Brasil continua fechada desde a noite de quinta-feira (21) Imagem: Priscilla Torres

Pacaraima

23/02/2019 19h01

As duas caminhonetes carregadas com ajuda humanitária que estavam neste sábado entre a fronteira do Brasil com a Venezuela foram retiradas para o interior do território brasileiro por temor a possíveis distúrbios na região.

Yuretzi Idrogo, deputada venezuelana exilada no Brasil, disse à Agência Efe que a decisão de retirar as caminhonetes carregadas com alimentos e remédios dessa área neutra entre os dois países se deu "por precaução" e para "evitar possíveis conflitos".

"A ideia é que essa ajuda entre pacificamente e sem nenhuma violência", afirmou Yuretzi, depois que alguns grupos de manifestantes antichavistas ameaçaram atear fogo no bocal de abastecimento dos veículos.

Diante deste panorama, as duas caminhonetes recuaram, passaram outra vez pelo posto de controle fronteiriço brasileiro e voltaram à cidade de Pacaraima.

Durante o tempo em que o carregamento de ajuda humanitário ficou bloqueado nessa área neutra, duas ambulâncias passaram da Venezuela ao Brasil transportando pelo menos quatro mortos e vários feridos.

Perguntas e respostas para entender a crise nas fronteiras da Venezuela

UOL Notícias

O Parlamento venezuelano, de maioria opositora, denunciou hoje que quatro pessoas foram assassinadas e mais de 20 ficaram feridas na fronteira da Venezuela com o Brasil.

"O que ocorre na fronteira com o Brasil não é repressão comum. O que ocorre em Santa Elena de Uairén é um massacre contra o povo indígena pemón, onde contabilizamos quatro pessoas assassinadas e mais de 20 feridos de bala", disse em entrevista coletiva o deputado Juan Andrés Mejía.

Internacional