PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Guaidó deve se reunir com Bolsonaro em Brasília amanhã, dizem fontes venezuelanas

26.fev.2019 - Juan Guaidó durante entrevista coletiva em Cúcuta, na Colômbia - RAUL ARBOLEDA/AFP
26.fev.2019 - Juan Guaidó durante entrevista coletiva em Cúcuta, na Colômbia Imagem: RAUL ARBOLEDA/AFP

Da EFE, em Brasília

27/02/2019 13h47

O chefe da Assembleia Nacional da Venezuela e autoproclamado presidente do país, Juan Guaidó, reconhecido como interino por cerca de 50 governos, é esperado em Brasília nesta quinta-feira.

Fontes ligadas ao líder opositor venezuelano informaram à Agência Efe que Guaidó deve ser recebido pelo presidente Jair Bolsonaro (PSL), que manifestou firme apoio à Assembleia Nacional desde que Guaidó declarou que Nicolás Maduro está "usurpando" o poder.

Por enquanto, o Palácio do Planalto não confirma a visita.

A agenda completa de Guaidó em Brasília, segundo as fontes ouvidas pela Efe, ainda está aberta. No entanto, além da conversa com Bolsonaro, o líder da oposição venezuelana deve ir ao Congresso.

Guaidó, que se autoproclamou presidente interino da Venezuela no dia 23 de janeiro, está na Colômbia, onde liderou a mobilização para tentar enviar a ajuda humanitária doada por dezenas de países.

A operação, realizada no último sábado, foi frustrada após a ordem de Maduro para fechar a fronteira, gerando uma série de confrontos entre manifestantes contrários ao regime chavista.

Guaidó viajou para a Colômbia apesar de uma ordem judicial que o proibia de sair do país.

O Brasil é membro do Grupo de Lima, bloco de países latino-americanos que exigem que Maduro deixe o poder. Em cúpula realizada na última segunda-feira, na Colômbia, o grupo se comprometeu a seguir trabalhando pela redemocratização da Venezuela e ofereceu amplo apoio a Guaidó como presidente interino do país.

O Grupo de Lima rejeitou a possibilidade de uma intervenção militar na Venezuela e exigiu a realização de eleições livres no país, sob supervisão da comunidade internacional.

Na ONU, Brasil e cerca de 60 diplomatas abandonam discurso de venezuelano

UOL Notícias

Internacional