PUBLICIDADE
Topo

Sobe para 22 o número de mortos por acidente em estação de trem no Egito

28/02/2019 11h47

Cairo, 28 fev (EFE).- Subiu para 22 o número de mortos após o acidente ocorrido ontem na Estação Central do Cairo, de acordo com um novo balanço divulgado nesta quinta-feira pela ministra de Saúde do Egito, Hala Zayed, depois que duas pessoas que estavam hospitalizadas morreram devido aos ferimentos sofridos.

A agência oficial de notícias egípcias MENA informou que a ministra anunciou o morte de dois feridos, um membro das equipes de emergência e outra pessoa cuja identidade não foi divulgada.

Zayed visitou hoje o hospital Dar al-Shifa do Cairo para acompanhar a recuperação dos feridos.

Além das 22 vítimas mortais, também ficaram feridas 41 pessoas, depois que uma locomotiva se chocou contra uma barreira na estação Ramses, o que causou uma explosão e um grande incêndio.

A Procuradoria-Geral do Egito revelou ontem que, segundo as investigações preliminares, o acidente ocorreu devido a uma negligência do motorista, que deixou o veículo sem acionar os freios.

A locomotiva sem motorista ganhou velocidade e acabou se chocando contra uma barreira de concreto situada ao final da via do trem, onde estavam os passageiros nas plataformas de estação, que foram atropelados e atingidos pela conseguinte explosão e incêndio.

Os corpos dos mortos foram carbonizados, por isso que levará mais tempo para identificá-los.

O ministro de Transporte, Hisham Arafat, apresentou sua demissão poucas horas depois do acidente e foi substituído de forma temporária pelo ministro de Eletricidade, Mohammed Shaker.

No Egito são frequentes os acidentes ferroviários devido ao mal estado das vias e dos veículos, assim como à falta de um sistema moderno de sinalização e controle de tráfego.

A maior tragédia ferroviária da história do Egito, na qual morreram 376 pessoas, ocorreu em 2002 ao após o incêndio de um trem que fazia o trajeto entre Cairo e a cidade monumental de Luxor, no sul do país. EFE