PUBLICIDADE
Topo

Abbas alerta sobre tensão em Esplanada das Mesquitas e pede intervenção

12/03/2019 14h11

Jerusalém, 12 mar (EFE).- A Presidência palestina alertou nesta terça-feira sobre a escalada de tensão na Esplanada das Mesquitas, em Jerusalém Oriental, e pediu a intervenção internacional, após o local ter sido evacuado pelo lançamento de uma bomba contra policiais israelenses, que deixou uma agente ferida.

O presidente da Palestina, Mahmoud Abbas, condenou a escalada recente e a considerou "resultado da persistência das forças de ocupação (israelenses) e dos colonos (judeus)", que foram acusados de "violar a santidade da mesquita" de Al-Aqsa, situada no complexo, e "provocar os sentimentos dos muçulmanos através de incursões e violações aos ritos religiosos", informou a agência estatal de notícias palestinas "Wafa".

A Presidência qualificou os fatos de hoje de "ataque flagrante" contra o terceiro local mais sagrado do Islã, que por sua vez é o primeiro local sagrado para o judaísmo.

O presidente palestino mantém "intensos contatos" com várias partes "para pressionar o Governo israelense para que detenha esta perigosa escalada" e está em especial contato com as autoridades jordanianas, que administram o Waqf, a instituição que administra os lugares sagrados muçulmanos na parte oriental da Cidade Santa, que Israel ocupa desde 1967.

A tensão em torno da Esplanada nas últimas semanas é alta pela disputa em um edifício adjacente à área da Porta Dourada, cujo acesso estava vetado pelas autoridades israelenses e onde fiéis palestinos começaram a rezar recentemente.

A Esplanada, um dos pontos mais quentes do conflito aloja a mesquita de Al-Aqsa e a Cúpula da Rocha, e tem aos seus pés o Muro das Lamentações. EFE