PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Aliado de May, partido norte-irlandês diz que mudança no Brexit foi branda

12/03/2019 13h50

Dublin, 12 mar (EFE).- O Partido Democrático Unionista (DUP), da Irlanda do Norte, aliado da primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May, disse nesta terça-feira que o governo britânico não conseguiu avançar o suficiente para conseguir mudanças legalmente vinculativas para evitar a criação de uma fronteira entre as Irlandas no acordo para deixar a União Europeia (UE), o "Brexit".

A legenda ultraconservadora mostrou descontentamento com as mudanças feitas no pacto, mas não quis informar como votará na noite de hoje na Câmara dos Comuns do Reino Unido. A imprensa britânica afirma que o DUP irá rejeitar o acordo de May em vez de se abster.

A posição do DUP coincide com a do advogado do governo britânico, Geoffrey Cox. Ele analisou que as modificações reduzem o risco do Reino Unido permanecer indefinitivamente dentro do polêmico mecanismo de salvaguarda, mas o "perigo legal" permanece o mesmo.

O partido norte-irlandês lembrou que a primeira-ministra conservadora se comprometeu a conseguir "mudanças legalmente vinculativas" nesse mecanismo projetado para manter aberta a fronteira entre as duas Irlandas após o acordo ser negado pelos deputados britânicos na Câmara dos Comuns.

"Reconhecemos que a primeira-ministra efetuou progressos limitados nas conversas com a União Europeia. No entanto, na nossa opinião, não foram alcançados os avanços suficientes até esse momento", afirmou o DUP em comunicado.

Os dez deputados do partido norte-irlandês permitem que May governe em minoria no parlamento britânico.

Depois de analisar o relatório de Cox e de seus próprios advogados, o DUP considerou que a salvaguarda ainda apresenta riscos para a integralidade territorial e econômica do Reino Unido. E também tira a autoridade da região de deixar o mecanismo de forma unilateral caso ele seja ativado após o "Brexit".

"Nós queremos um acordo que funcione para todas as partes do Reino Unido. Apoiaremos o acordo adequado, que respeite o resultado do referendo e a posição da Irlanda do Norte como uma parte integral do Reino Unido", ressaltou o partido.

O DUP também criticou os negociadores do bloco europeu pela "intransigência" em não modificar o acordo e defendeu que todas as partes se comportem de forma "razoável" para chegar a um acordo, faltando 17 dias para a data oficial do "Brexit".

O mecanismo de salvaguarda, também conhecido como "backstop", estabelece que o Reino Unido permanecerá na união aduaneira europeia e que a Irlanda do Norte deve seguir certas normas do mercado único europeu até que uma nova relação comercial entre eles seja discutida, um processo que pode durar anos.

Por esse motivo, a ala contrária à UE do Partido Conservador e o DUP temem que o Reino Unido fique ligado às regras do mercado único europeu indefinidamente se não houver um acordo comercial dentro do período de transição após o "Brexit", que vai até 2020. EFE

Internacional