PUBLICIDADE
Topo

Promotoria norte-irlandesa acusa ex-soldado britânico por Domingo Sangrento

14/03/2019 13h49

Dublin, 14 mar (EFE).- A Promotoria da Irlanda do Norte anunciou nesta quinta-feira que apresentou acusações contra um ex-soldado do Exército britânico por seu suposto envolvimento na morte de dois civis no chamado Domingo Sangrento, no qual morreram 14 pessoas, ocorrido na cidade de Derry em 1972.

A Promotoria norte-irlandesa informou que o acusado, identificado como "soldado F", é acusado pela morte de duas pessoas e a tentativa de assassinato de outras quatro.

Catorze pessoas inocentes morreram por tiros de homens do Exército britânico em 30 de janeiro de 1972 em Derry, no noroeste norte-irlandês, durante uma manifestação pelos direitos civis na qual a atuação dos soldados foi qualificada de "injustificada e injustificável", segundo determinou em 2012 uma investigação oficial.

Em pronunciamento à imprensa, o diretor da Promotoria, Stephen Herron, explicou nesta quinta-feira que o "soldado F" será julgado pelo assassinato de James Wray e William McKinney e pela tentativa de assassinato de Joseph Friel, Michael Quinn, Joe Mahon e Patrick O'Donnell.

A Polícia norte-irlandesa tinha averiguado também o envolvimento de outros 16 ex-soldados no Domingo Sangrento e de dois membros da IRA Oficial, organização terrorista da qual saiu o atual Exército Republicano Irlandês (IRA), já inativo, após seu apoio ao processo de paz. EFE