PUBLICIDADE
Topo

Morre rabino israelense ferido em ataque na Cisjordânia ocupada

18/03/2019 07h55

Jerusalém, 18 mar (EFE).- Um rabino isralense que foi ferido ontem um ataque realizado por um palestino nas imediações do assentamento judaico de Ariel, na Cisjordânia ocupada, morreu nesta segunda-feira.

O rabino, Ahiad Etinger, tinha 47 anos e era pai de 12 filhos. O religioso se tornou a segunda vítima mortal do ataque, após a morte do sargento Gal Keidan.

O Exército israelense suspeita que a agressão, na qual outro soldado ficou ferido, foi cometida por um palestino que fugiu do local após esfaquear os soldados e ter disparado contra três carros que circulavam pela região.

Após disparar contra os veículos, "o terrorista entrou em um automóvel", e mais adiante, enquanto fugia, disparou contra outro militar israelense que também ficou ferido, disse um porta-voz militar.

O agressor fugiu para uma vila palestina próxima e o Exército realiza uma busca na região.

"Durante a noite, as tropas do Exército, junto com a polícia de fronteiras e as forças da polícia israelense operaram nas aldeias do distrito de Qalquilya", informou uma nota militar.

O Exército conhece a identidade do suspeito, inspecionou sua residência e avalia a possibilidade de demolição, como faz habitualmente com os autores de atentados.

Segundo o jornal "Haaretz", alguns parentes do suposto agressor foram detidos.

O agressor foi identificado pelos veículos de imprens como Omar Amin Abu Laila, de 19 anos, original da aldeia de Az-Zawiya, e aparentemente sem vínculos políticos com organizações palestinas e sem antecedentes de violência.

Em uma operação realizada nesta madrugada perto da cidade de Jenin como parte da busca, ocorreram enfrentamentos com residentes palestinos, que lançaram dois artefatos explosivos contra as forças de ordem israelenses. EFE