PUBLICIDADE
Topo

Número de mortes causadas pelo ciclone Idai em Moçambique sobe para 294

21/03/2019 15h58

Maputo, 21 mar (EFE).- O número de mortes causadas pela passagem do ciclone Idai por Moçambique subiu para 294, após equipes de resgate encontrarem 92 corpos em meio a lugares que sofreram destruição pelo fenômeno climático.

Do montante, 47 corpos foram localizados em Nhamatanda, na província de Sofala, segundo informações oficiais divulgadas nesta quinta-feira. O administrador distrital, Tozé José, explicou que o número pode seguir subindo, pois, há áreas inundadas e ainda isoladas.

Na vizinha província de Manica, por sua vez, foram retirados da água outros 45 corpos, no distrito de Sussundenga, segundo relatou o governador Manuel Rodrígues.

Os trabalhos de resgate seguem em andamento, enquanto parte do território moçambicano continua inundado. Dezenas de milhares de pessoas estão refugiadas em abrigos, esperando que o nível da água se reduza para voltar para suas casas.

As autoridades estimam que há 60 mil pessoas aguardando por auxílio, apenas na província de Sofala.

"É uma situação complicada, difícil. As comunicações não estão funcionando. Ontem, descobrimos algumas áreas submersas que desconhecíamos. Por isso, a região afetada é muito maior do que pensávemos", explicou Saviano Abre, chefe de comunicação do Escritório de Assuntos Humanitários da ONU.

Além de causar inúmeras mortes e danos materiais em Moçambique, Idai também arrasou cidades de Zimbábue e Malawi. Ao todo, já foram registradas quase 500 vítimas nestes países.

Cerca de 2,8 milhões de pessoas foram afetadas de alguma forma pelo ciclone, um dos mais devastadores registrados no continente africano. EFE