PUBLICIDADE
Topo

Caminhoneiro que matou 16 pessoas no Canadá é condenado a 8 anos de prisão

22/03/2019 20h31

Toronto, 22 mar (EFE).- Jaskirat Singh Sidhu, o caminhoneiro que em abril de 2018 causou a morte de 16 pessoas no Canadá quando o caminhão que dirigia bateu em um carro que transportava uma equipe juvenil de hóquei sobre gelo, foi condenado nesta sexta-feira a oito anos de prisão.

No acidente, que aconteceu na região central do país e comoveu a opinião pública canadense pelo tamanho da tragédia, outras 13 pessoas ficaram feridas.

Em janeiro, Sidhu assumiu ser culpado de direção perigosa com resultado de morte, o que evitou que as famílias precisassem passar por semanas de julgamento nas quais seria necessário revisar todos os aspectos do acidente.

Hoje, a juíza Inez Cardinal leu a sentença em um tribunal da cidade de Melfort e lembrou a "dor insuportável" da tragédia que "destruiu" muitas famílias.

Cardinal condenou o motorista a oito anos de prisão por cada morte e cinco anos por cada pessoa ferida, mas disse que as sentenças têm que ser cumpridas simultaneamente, por isso o tempo total de reclusão será de oito anos.

O Ministério Público tinha pedido dez anos de prisão para Sidhu, que trabalhava há apenas três semanas na empresa proprietária do caminhão quando o caso aconteceu.

Chris Joseph, pai de uma das vítimas, disse à emissora pública canadense "CBC" que a duração da condenação é razoável, porque não havia um número que o deixaria "feliz". Outras famílias não concordaram com a sentença.

Em janeiro, os advogados de Sidhu disseram que desde o início o caminhoneiro afirmou a intenção de se declarar culpado sem a necessidade de julgamento.

"Ele disse que não queria piorar as coisas. Está aflito com as demonstrações de simpatia e generosidade de algumas famílias e jogadores, apesar de a dor delas ser totalmente culpa sua", disse o advogado Mark Brayford.

O acidente aconteceu quando o caminhão, de grande porte, ultrapassou o sinal vermelho em um cruzamento na província de Saskatchewan.

Posteriormente, foi descoberto que Sidhu estava distraído com uma lona mal posicionada que cobria a carga do caminhão. O carro que passava transportava o time do Humboldt Broncos, original de uma pequena cidade de seis mil habitantes.

Ao todo, 11 jogadores, o treinador, um funcionário do time e o motorista morreram. Sidhu saiu ileso.

Diante da magnitude da tragédia, a opinião púbica se mobilizou pelas vítimas. Uma página de doações na internet arrecadou 15 milhões dólares canadenses para custear funerais e o tratamento dos feridos.

O acidente também provocou a revisão das leis que regulam a profissão de caminhoneiro no Canadá. No momento do acidente, só uma das 11 províncias exigia que os motoristas de caminhões grandes tivessem curso de formação. EFE