PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Presidentes da América do Sul chegam para cúpula inaugural do Prosul

22/03/2019 11h46

Santiago (Chile), 22 mar (EFE).- Os chefes de Governo de sete países começaram a chegar nesta sexta-feira à sede do Governo do Chile, o Palácio da Moeda, para participar do Encontro de Presidentes da América do Sul que criará o Prosul como nova entidade de integração regional.

O presidente do Chile, Sebastián Piñera, anfitrião do encontro, é o encarregado de receber na porta da sede do governo cada um dos líderes que vão participar do encontro.

Os convidados para a reunião são os presidentes de Brasil, Jair Bolsonaro; Argentina, Mauricio Macri; Colômbia, Iván Duque; Equador, Lenín Moreno; Paraguai, Mario Abdo Benítez; e Peru, Martín Vizcarra.

Por parte dos demais países participam outros altos representantes ou diplomatas.

Assim, pela Bolívia está presente a vice-chanceler, Carmen Almendra; da mesma forma que pelo Uruguai seu vice-chanceler, Ariel Bergamino, que tomará parte da reunião como observador, segundo anunciou o presidente desse país, Tabaré Vázquez.

Pelo Suriname o embaixador desse país em Cuba, Edgar Armaketo; e pela Guiana seu embaixador no Chile, George Talbot.

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, não foi convidado, mas sim o presidente da Assembleia Nacional da Venezuela, Juan Guaidó, reconhecido como presidente encarregado da nação por mais de 50 países e que se desculpou por sua ausência em Santiago por motivos de agenda.

O objetivo do Fórum para o Progresso e Desenvolvimento da América Latina (Prosul) é que seja um organismo "mais dinâmico, menos burocrático e claro de ideologia".

Ao mesmo tempo, se pretende que esta nova entidade substitua a União de Nações Sul-Americanas (Unasul), nascida em 2008 com 12 estados-membros dos quais agora só restam Bolívia, Guiana, Suriname, Uruguai e Venezuela. EFE

Internacional