PUBLICIDADE
Topo

Internacional

May diz que nova votação de acordo para o Brexit pode não acontecer

23/03/2019 07h58

Londres, 23 mar (EFE).- A primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May, garantiu aos deputados da Câmara dos Comuns que uma terceira votação do acordo que costurou para o Brexit pode não acontecer na próxima semana, caso não haja apoio suficiente para a aprovação.

A líder utilizou uma carta para se dirigir aos parlamentares, cujo conteúdo foi divulgado neste sábado. A premiê destacou as opções cada vez menores para a saída dos britânicos da União Europeia, após a cúpula do Conselho Europeu, que acontecerá na próxima quinta-feira.

Entre elas, May apontou a possibilidade da Câmara dos Comuns não votar o pacto pela terceira vez - após duas rejeições anteriores - e acontecer uma nova derrota, seguida de um pedido para a prorrogação do Brexit antes de 12 de abril, o que obrigaria o país a participar das eleições à Eurocâmara, no fim de maio.

Esta é uma das quatro "claras opções", como a primeira-ministra classificou, junto a revogar o Artigo 50 do Tratado de Lisboa. Essa alternativa, contudo, iria contra o resultado do referendo de 23 de junho de 2016.

As outras soluções restantes são materializar a ruptura com a União Europeia, sem que seja selado qualquer acordo de transião, em 12 de abril; ou, a preferida de May, que é a aprovação do acordo para romper com o bloco de forma ordenada, em 22 de maio.

Na carta, a primeira-ministra também se referiu ao discurso que fez na quarta-feira, que despertou muitas críticas entre os deputados, por apontar se tratavam de traidores e de culpados pelo "caos do brexit".

"Expressei a minha frustração, diante da incapacidade de se tomar uma decisão, mas, sei que vocês estão frustrados também. Têm um trabalho difícil de realizar, e não foi a minha intenção, fazer tudo ficar mais difícil", escreveu.

A líder conservadora enviou a carta, após a divulgação de que o líder do Partido Unionista Democrático da Irlanda do Norte, Nigel Dodds, segue sem dar respaldo ao acordo de May.

O parlamentar afirmou antes que a primeira-ministra perdeu uma oportunidade de propor mudanças no acordo de saída, para ajudar que seja aprovado entre os deputados.

Nesta segunda-feira, a Câmara dos Comuns realizará um debate sobre o Brexit, embora não esteja programado uma eventual terceira votação do documento selado entre o governo do Reino Unido e a União Europeia, decisão que recairá sobre o presidente da Câmara dos Comuns, John Bercow.

Enquanto isso, a plataforma "People's Vote", que defende a realização de um segundo referendo, convocou para este sábado uma manifestação no centro de Londres. EFE

Internacional