PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Ao som de Beatles, Charles e Camilla são rodeados por multidão em Havana

26/03/2019 15h37

Yeny García.

Havana, 26 mar (EFE).- O príncipe Charles da Inglaterra e sua esposa Camilla, duquesa da Cornualha, foram rodeados por uma multidão nesta terça-feira durante uma visita ao parque dedicado a John Lennon em Havana, onde eram esperados por membros de um clube de motos e carros clássicos britânicos, ao som de músicas antológicas dos Beatles.

Como já se tornou costume desde sua chegada a Cuba no domingo passado - na primeira visita oficial de membros da realeza britânica à ilha -, o casal cumprimentou com afabilidade todos os moradores e curiosos que encontraram em seu passeio pela pequena praça.

Charles, de terno creme e gravata listrada, e Camilla, com vestido verde claro e se protegendo do intenso sol com sua já inseparável sombrinha branca, chegaram ao local conduzindo um carro conversível da marca britânica MG, fabricado em 1953.

Sem se incomodar com as altas temperaturas, o príncipe de Gales e a duquesa da Cornualha tiveram tempo de conversar com cada um dos donos dos mais de 40 carros e motos reunidos no parque, dedicado ao ex-Beatle, por quem os cubanos sentem uma especial devoção.

Charles foi testemunha do amor dos cubanos pelo rock and roll anglo-saxão, que chegou a estar proibido em Cuba durante os primeiros anos da Revolução, e se surpreendeu quando soube que o clube Submarino Amarelo - situado em uma das esquinas do parque - está dedicado ao rock das décadas de 1960, 1970 e 1980.

Em frente ao centro cultural, o casal real parou para escutar uma banda local, que depois de interpretar vários sucessos dos Beatles, fecharam a apresentação com "Satisfaction", dos Rolling Stones, que há três anos fizeram história ao tocar pela primeira vez em Cuba diante de mais de um milhão de pessoas.

O herdeiro da coroa britânica e sua esposa acenaram para os jornalistas e, com um sorriso, se sentaram no banco onde descansa a estátua em bronze de John Lennon: a foto obrigatória de todos que visitam o lugar.

"Se nota que é popular, o banco está polido", brincou Charles com os jornalistas que faziam fotos em frente à estátua do cantor.

Por último, e logos antes que começasse uma surpreendente chuva de primavera, Charles e Camilla cumprimentaram uma representação da comunidade britânica residente na ilha, antes de partir rumo aos estúdios da Egrem, a gravadora mais antiga de Cuba.

Dentro da agitada agenda desta terça-feira, o príncipe de Gales e a duquesa visitarão ainda um sítio de agricultura orgânica e conhecerão as experiências da ilha na luta contra a violência doméstica.

Além disso, presidirão a cerimônia do início de construção de um parque fotovoltaico com financiamento britânico na Zona Especial de Desenvolvimento de Mariel, o grande projeto do governo cubano para atrair capital estrangeiro. EFE

Internacional