PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Congresso não aprovará orçamento do Pentágono com muro, dizem democratas

26/03/2019 13h35

Washington, 26 mar (EFE).- Os democratas do Congresso dos Estados Unidos alertaram nesta terça-feira que não aprovarão o orçamento do Pentágono para o próximo ano devido à existência de uma verba destinada a financiar o muro na fronteira com o México, a principal promessa de campanha do presidente Donald Trump.

O presidente do Comitê de Serviços Armados da Câmara dos Representantes, o democrata Adam Smith, fez a advertência ao secretário de Defesa, Patrick Shanahan, em audiência realizada nesta terça-feira para analisar o orçamento do Pentágono: "Este orçamento não será aprovado", garantiu Smith durante a audiência.

A proposta orçamentária para o ano fiscal de 2020 apresentada pelo chefe do Pentágono, que chega a US$ 750 bilhões, contempla uma verba de US$ 9,2 bilhões para a construção de infraestruturas, quantia que poderia ser utilizada para financiar o muro.

Deste montante, US$ 3,6 bilhões serviriam diretamente para erguer o muro - projeto defendido pela Casa Branca, mas que conta com a oposição do Congresso - e outros US$ 3,6 bilhões para o "financiamento de outras emergências", explicou o secretário de Defesa.

Trump decretou no dia 15 de fevereiro uma emergência nacional na fronteira sul com o objetivo de obter da Defesa os fundos que o Congresso se rejeitou a conceder.

Com esta medida, Trump buscava conseguir US$ 8 bilhões, desviando cerca de US$ 6,6 bilhões previamente aprovados para o Pentágono e o Departamento do Tesouro.

"Financiar o muro na fronteira com fundos do Departamento de Defesa é incrivelmente irresponsável. Não importa o que cada um pensa sobre o muro, considerar o Pentágono como uma arca prejudica a sua credibilidade", denunciou o congressista.

Smith também acusou Shanahan, também presente na audiência, porque, segundo ele, a manobra contábil visa permitir que o Pentágono "argumente" que, no momento em que destinar fundos à construção do muro, está somando ao orçamento quando, na realidade, estará empregando esses fundos como se fosse um "caixa 2".

"O Exército não é a única maneira de dissuadir nossos adversários, podemos colaborar com nossos parceiros, podemos recorrer à diplomacia. Podemos fazer muitas coisas sem ter de recorrer à Defesa, mas com este orçamento não será possível", opinou Smith.

A advertência do congressista democrata chega um dia após o Pentágono autorizar uma primeira verba de US$ 1 bilhão para construir trechos do muro em Yuma (Arizona) e El Paso (Texas), na fronteira com Ciudad Juárez, no México. EFE

Internacional