PUBLICIDADE
Topo

HRW denuncia fechamento de portal universitário indonésio por artigo lésbico

26/03/2019 08h42

Jacarta, 26 mar (EFE).- A organização defensora dos direitos humanos Human Rights Watch (HRW) criticou nesta terça-feira a decisão de uma universidade da Indonésia de tirar do ar um portal estudantil por publicar um artigo sobre um romance lésbico.

O reitor da Universidade de Sumatra do Norte (USU), Runtung Sitepu, ordenou ontem que a equipe de 18 universitários do portal "Suara USU" fechasse e esvaziasse a redação em menos de 48 horas, segundo a HRW.

Sitepu alegou que a história publicada contradiz os valores da universidade, já que contém pornografia e promove a homossexualidade, algo que os estudantes negam.

O editor e autor do artigo, Yael Stefany Sinaga, disse que seu objetivo é gerar discussão sobre a discriminação dos homossexuais e se negou a retirá-lo do site.

"(O fechamento) vulnera a liberdade de imprensa, a liberdade educacional e os princípios de não discriminação que a universidade deveria defender", disse à Agência Efe o investigador da HRW para a Indonésia, Andreas Hartono.

A história de ficção, intitulada "Todos recusam minha presença perto dela", foi publicada no dia 12 de março e, após ser censurada pelo provedor de internet, os estudantes migraram todo o conteúdo do portal para outro servidor.

A HRW alerta para um aumento da retórica homofóbica de membros do alto escalão do governo e outras figuras públicas desde o início de 2016, quando o ministro da Educação Superior, Mohammed Nasir, afirmou que os estudantes homossexuais deveriam ser vetados nos campi.

Quase 90% dos mais de 260 milhões de indonésios praticam o islã, a maioria de forma moderada, mas ativistas denunciam uma maior influência dos grupos islamitas na sociedade e na política. EFE