PUBLICIDADE
Topo

Dois atores egípcios são expulsos de sindicato por "trair a pátria"

27/03/2019 11h16

Cairo, 27 mar (EFE).- O sindicato de atores do Egito expulsou nesta quarta-feira duas estrelas do cinema do país, entre elas o protagonista do filme "Lucy", Amr Waked, após a participação de ambos em um ato em Washington sobre os direitos humanos no país e pela suposta postura crítica em relação às emendas constitucionais que estão sendo tramitadas atualmente no Parlamento egípcio.

Waked e o ator Khaled Abol Naga foram expulsos porque "traíram a pátria e o povo egípcio" ao participarem desse evento, que contou com a presença de senadores e congressistas americanos "sem autorização", contra a "estabilidade e segurança" do Egito, afirmou hoje o sindicato em comunicado.

O sindicato disse que não permitirá que nenhum de seus membros "traia o país" e advertiu ao mesmos que não colaborem com Estados que têm "agendas hostis com o Egito, seu povo e o futuro de seus jovens", muitos dos quais expressaram apoio aos dois atores através das redes sociais.

Durante o ato realizado em Washington e organizado pela ONG The Freedom Initiative, Waked e Abol Naga mostraram oposição às emendas constitucionais que estão sendo tramitadas pelo Parlamento egípcio, sendo a mais polêmica delas a que permitiria ao presidente Abdul Fatah al Sisi ficar no poder até 2034.

As controversas mudanças na Constituição, que foram propostas por deputados favoráveis a Al Sisi e que devem ser aprovadas pela Câmara e posteriormente em um referendo popular em abril, concedem amplas prerrogativas ao chefe do Estado e ao Exército.

Waked, de 46 anos, ganhou fama internacional por filmes como "Lucy", quando contracenou ao lado da estrela de Hollywood Scarlett Johansson, e em seu país também assumiu protagonismo na cena política desde a revolução de 2011, da qual foi um firme defensor.

O ator vive na Espanha desde 2017, mas isso não evitou que tenha sido perseguido por conta de suas opiniões e condenado por um tribunal militar egípcio a cinco e a três anos de prisão, em dois casos separados, por divulgar notícias falsas e desprezar as instituições do país, segundo ele mesmo anunciou nas redes sociais este mês.

Khaled Abol Naga recebeu diversos prêmios de melhor ator em vários festivais internacionais de cinema, e entre seus filmes mais famosos estão "Villa 69" e "Olhos de Ladrão".

As duas estrelas são as últimas vítimas de uma campanha contra todos aqueles que se atrevem a criticar as emendas constitucionais, que levou dois parlamentares da oposição a serem envolvidos em escândalos criados para sujar sua imagem e dezenas de ativistas políticos e usuários das redes sociais a serem detidos nas últimas semanas. EFE