PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Força Aérea pede de volta verba enviada por Trump a obra de muro na fronteira

27/03/2019 16h39

Washington, 27 mar (EFE).- A Força Aérea dos Estados Unidos pediu ao presidente do país, Donald Trump, que desista de destinar verbas que seriam usadas para a reconstrução das bases de Tyndall e Offutt, parcialmente destruídas por desastres naturais, para a construção do prometido muro na fronteira com o México.

"Precisamos desesperadamente de recursos adicionais para nos recuperarmos dos desastres naturais que atingiram Tyndall e Offutt", afirmou a secretária da Força Aérea, Heather Wilson, em nota.

No total, o Pentágono calcula que precisa de US$ 1,2 bilhão para o atual ano fiscal e outros US$ 3,7 bilhões no orçamento de 2020.

As verbas para a construção de infraestruturas do Departamento de Defesa foram afetadas pela declaração de emergência nacional assinada por Trump em fevereiro. A medida foi uma manobra do presidente para conseguir recursos para construir o muro na fronteira sem a aprovação do Congresso.

Com a declaração de emergência nacional, a Casa Branca destinou US$ 6 bilhões do Pentágono para construção do muro. Do total, US$ 3,5 bilhões seriam usados para a reforma das instalações militares.

Tanto a base de Tyndall, atingida pelo furacão Michael em outubro de 2018, como a de Offutt, alagada depois da inundação do rio Mississipi, estavam em uma lista divulgada pelo Pentágono de locais que seriam afetados com a declaração de emergência nacional.

"Em maio ou junho, teremos que tomar outras decisões se não recebermos mais recursos. Essas são só as primeiras decisões que tivemos que tomar: 61 projetos, em 18 estados, não acontecerão porque não recebemos uma suplementação de verba pelo desastre em Tyndall", concluiu a secretária da Força Aérea. EFE

Internacional