PUBLICIDADE
Topo

Paramédico palestino morre em incidentes com exército israelense em Belém

27/03/2019 07h38

Jerusalém, 27 mar (EFE).- Um paramédico voluntário palestino de 17 anos morreu na manhã desta quarta-feira por um disparo em incidentes com o Exército de Israel no campo de refugiados Dheisheh, na cidade de Belém, na Cisjordânia ocupada.

O Ministério de Saúde palestina confirmou a morte de Sajed Mezher após receber um disparo na região abdominal, no marco de confrontos entre o Exército israelense e jovens locais durante a madrugada.

Outros três palestinos ficaram feridos e levados a hospitais da zona, um por um disparo no ombro, outro na coxa e o terceiro na mão, informou a agência oficial de notícias palestinas "Wafa".

Além disso, três pessoas foram detidas após os enfrentamentos e mais de 20 foram detidos em outras cidades palestinas na Cisjordânia, principalmente nos arredores de Ramala.

O ministro de Saúde palestino, Jawad Awad, condenou o incidente e a atuação do Exército israelense. "É um crime de guerra de um Exército que viola todos os tratados e convenções internacionais que exigem a proteção de paramédicos em conflito".

O Ministério expressou sua preocupação com a morte do paramédico, o quarto trabalhador médico morto desde o começo do ano passado, e acusou Israel de apontar deliberadamente contra o pessoal sanitário para obstruir seu trabalho e evitar o atendimento de feridos.

Perguntado pela Agência Efe, o Exército israelense ainda não ofereceu sua versão dos fatos.

Na semana passada, quatro palestinos morreram em três incidentes distintos na Cisjordânia. Um foi o agressor, que matou dois israelenses junto ao assentamento de Ariel, dois após o lançamento de coquetéis molotov contra um grupo de israelenses na cidade de Nablus e o último, na quarta-feira passada, também na cidade de Belém após lançar pedras contra automóveis da zona.

Os incidentes de hoje acontecem no marco de uma escalada de violência entre israelenses e palestinos, principalmente na Faixa de Gaza e arredores.

Vários foguetes foram lançados pelo Hamas para território israelense, que o Exército respondeu com bombardeios a alvos militares em Gaza, causando severos danos na infraestrutura do grupo islamita e ferindo sete pessoas.

Esta nova onda de tensão começou na segunda-feira pela manhã, após o impacto de um foguete lançado desde Gaza que alcançou uma casa israelense no moshav Mishmeret, ao norte de Tel Aviv, deixando sete feridos, entre eles três menores de 12, 3 e um ano e meio.

Diferentes fontes anunciaram na terça-feira durante a noite um princípio de acordo de cessação de hostilidades mediadas pelo Egito, que se traduziu em horas de calma, quebrada pelo lançamento de dois novos foguetes na tarde e noite de ontem, respondidos com bombardeios pontuais. EFE