PUBLICIDADE
Topo

Mais de 50 jihadistas escondidos em Al-Baghuz são mortos pela coalizão

28/03/2019 14h52

Campo Al-Omar (Síria), 28 mar (EFE).- Mais de 50 membros do grupo terrorista Estado Islâmico (EI) morreram em bombardeios da coalizão internacional liderada pelos Estados Unidos em seus esconderijos na região de Al-Baghuz, no leste da Síria, informou o Observatório Sírio de Direitos Humanos nesta quinta-feira.

A ONG disse que os aviões da coalizão tiveram como alvo cavernas e túneis situados nas proximidades de Al-Baghuz, a última cidade de onde os extremistas foram expulsos no último dia 23.

Além disso, o Observatório acrescentou que os combatentes do EI se esconderam depois de perderem todos os territórios na parte leste do Rio Eufrates. Esses esconderijos ficam nas proximidades do rio e nas áreas montanhosas desta região árida que faz fronteira com o Iraque.

No sábado passado, as Forças da Síria Democrática (FSD), uma aliança de milícias integrada majoritariamente por curdos e que recebe o apoio da coalizão, tomaram o controle de Al-Baghuz e anunciaram o fim do domínio territorial do EI.

No entanto, as milícias seguiram hoje com as operações de busca por locais onde ainda possa haver combatentes e importantes líderes do grupo radical, segundo o Observatório.

As FSD buscam esses foragidos, assim como reféns do EI que ainda não apareceram depois da libertação de todos os territórios habitados controlados por eles.

A ONG afirmou teme pelo destino de milhares de sequestrados de nacionalidade síria, que foram transferidos das prisões que estavam para áreas controladas pelos radicais, mas cujo paradeiro é desconhecido.

As FSD prometeram seguir lutando e perseguindo os jihadistas até eliminá-los da Síria, onde realizam ataques de alcance limitado contra as forças curdas nos territórios que elas controlam no norte e no leste do país. EFE