PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Rússia pede fim da pressão para desprestigiar governo da Nicarágua

28/03/2019 09h27

Moscou, 28 mar (EFE).- A Rússia exigiu nesta quinta-feira o fim das pressões "externas" sobre a Nicarágua que pretendem "desacreditar o governo legítimo do país" centro-americano, segundo denunciou a porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da Rússia, Maria Zakharova.

"Estamos convencidos de que os nicaraguenses são capazes de solucionar seus assuntos internos de forma independente e sem interferência externa", disse Zakharova em sua tradicional entrevista coletiva semanal.

A diplomata acrescentou que a Rússia está acompanhando o desenvolvimento dos eventos no país latino-americano e acredita que todas as forças políticas locais vão se esforçar para "garantir um desenvolvimento estável e progressivo da Nicarágua".

A Nicarágua está imersa em uma crise como consequência dos protestos populares que explodiram em 18 de abril de 2018 devido a uma reforma impopular da previdência social.

A crise já deixou 325 mortos desde abril do ano passado, segundo a Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH), mas alguns grupos locais humanitários elevam para 561 o número de vítimas, enquanto o governo só reconhece 199 e denuncia uma tentativa de golpe de Estado.

Para tentar solucionar as diferenças, o governo nicaraguense e a oposição extraparlamentar iniciaram negociações em 27 de fevereiro, nas quais foi proposta, entre outras medidas, a realização de eleições antecipadas "livres, justas, transparentes e com observação", e a anulação dos julgamentos contra os ativistas presos.

Os negociadores também colocaram sobre a mesa a libertação dos denominados "presos políticos", depois que o governo do presidente Daniel Ortega se comprometeu a libertar "todos" os manifestantes presos em um máximo de 90 dias, que os familiares cifram em 802 e as autoridades em 340. EFE

Internacional