PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Temer se torna réu em caso de mala de dinheiro da JBS

28/03/2019 18h16

Brasília, 28 mar (EFE).- O juiz da 15ª Vara da Justiça Federal em Brasília, Rodrigo Bentemuller, aceitou denúncia do Ministério Público contra o ex-presidente Michel Temer por corrupção passiva no caso da mala de dinheiro entregue a seu ex-assessor Rodrigo da Rocha Loures por representantes da JBS.

A decisão de Bentemuller tem relação com a mala de R$ 500 mil recebida por Rocha Loures de Ricardo Saud, ex-executivo da J&F, uma das empresas do grupo JBS. O Ministério Público diz que Temer era o destinatário do dinheiro, que era propina para o ex-presidente.

Temer foi preso na semana passada e chegou a passar quatro dias na Superintendência da Polícia Federal no Rio de Janeiro. Além disso, o ex-presidente é investigado em outros dez casos.

Rocha Loures foi, inclusive, gravado pela Polícia Federal quando saía correndo de um restaurante em São Paulo com a mala repleta de dinheiro, que tinha sido entregue por Saud. Na época, a divulgação do vídeo foi condenada por Temer, que ainda estava na presidência.

Pouco antes da prisão de Rocha Loures, o jornal "O Globo" divulgou um áudio gravado por Joesley Batista conversando com Temer sobre medidas que o governo poderia adotar para beneficiar a JBS.

O Ministério Público chegou a pedir a perda da imunidade de Temer, para que ele respondesse a denúncia na Justiça, mas o ex-presidente conseguiu articular que o Congresso não autorizasse a sequência das investigações.

Na semana passada, Temer se tornou o segundo presidente da história do Brasil a ser preso por corrupção. O outro é Luiz Inácio Lula da Silva, que cumpre desde abril do ano passado uma pena de 12 anos e um mês de prisão por corrupção e lavagem de dinheiro. EFE

Internacional