PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Berlin classifica de "arbitrária" cassação de direitos políticos de Guaidó

29/03/2019 10h24

Berlim, 29 mar (EFE).- O Governo da Alemanha qualificou nesta sexta-feira de "medida arbitrária do regime de Nicolás Maduro" a decisão da Controladoria Geral da Venezuela de inabilitar por 15 anos para exercer cargos públicos o líder opositor Juan Guaidó, reconhecido como presidente interino do país por dezenas de países.

"Registramos a decisão do controlador venezuelano Elvis Amoroso de inabilitar por 15 anos Juan Guaidó para exercer cargos políticos", disse a porta-voz do Ministério de Exteriores, Maria Adebahr.

"Trata-se de mais uma medida arbitrária do regime de Nicolás Maduro, que dificulta ainda mais uma solução democrática e pacífica na Venezuela", acrescentou a porta-voz.

Maria reiterou o apoio do Governo alemão a Guaidó, a quem qualificou de "líder da última organização que tem legitimidade democrática na Venezuela".

"Vamos continuar apoiando Juan Guaidó porque é o líder da última organização com legitimidade democrática na Venezuela, ou seja, a Assembleia Nacional", disse Maria.

A Alemanha está entre os países que reconheceu Guaidó como presidente interino em relação a uma convocação de eleições livres. EFE

Internacional